Repensar o mundo para as próximas gerações

 

A formulação keynesiana legitimou a presença do governo na economia, em um mundo destruído pela guerra. Isso foi  como tomar uma aspirina para aliviar uma dor de cabeça – mas a médio e longo prazo os resultados têm sido desastrosos. Depois de quase 7 décadas de aplicação prática, esta formulação econômica expõe  estagflação como seu melhor resultado: uma solução de compromisso entre desemprego e inflação. Uma ofensa à inteligência humana.

Ninguém pode criticar algo sem propostas. Não é apenas que Keynes estava errado. É que ele estava errado especificamente quando violenta o conhecimento e recomendações de gerações anteriores de economistas, em particular àquelas de Adam Smith e Ludwig Heinrich Edler von Mises (1881–1973) –  do chamado grupo da escola austríaca, formada por Carl Menger, Eugen von Böhm-BawerkHenry Hazlitt, Murray Rothbard e o Premio Nobel Friedrich Hayek.

 

O texto abaixo visa formular e promover políticas públicas baseadas nos princípios da livre empresa e mercado, redução do tamanho do governo, liberdade individual, valores universais baseados nas necessidades humanas biológicas: nutrição, saúde e educação.

Busca também promover debates sobre o livre mercado, circulação livre de idéias para a reforma da saúde orientadas para o mercado e máxima eficiência, tendo por crença inexorável a insubstituível supremacia dos interesses individuais sobre os coletivos.

Enfim, algumas idéias como um compromisso individual com o planeta para um mundo mais digno e justo! Minha contribuição para a unificar a visão  para redução do tamanho do Governo – Mais liberdade, menos governo.

 

Estou certo que minha geração e muitas outras estão cansadas de ler as bem intencionadas Declarações universais de direitos humanos, Objetivos do Milênio e tantas outras mais – estes documentos trazem em seu conteúdo um consenso universal de que nossas crianças precisam ter acesso a nutrição, saúde e educação – condição “sine qua non” para sobrevivência e progresso. Entretanto muito pouco se progrediu neste campo.

 

Esta reflexão se destina àqueles que estão convencidos que o mundo atual não representa uma herança de nossos pais, que pode ser degradada, mas um empréstimo de nossos filhos. Temos que devolver a eles algo melhor que encontramos. Temos que olhar para frente, ficar indignados com a violência, exclusão social, fome, miséria, conflitos, desrespeito a condição humana, guerras inexplicáveis motivadas por inconfessáveis interesses econômicos onde jovens são mortos em defesa de interesses espúrios!!

 

Este texto contém uma proposta que  busca  substituir a cambiante lógica de idéias – ideologia  –  pela invariável lógica da vida – biologia.

 

 

Foi com o espírito ideologicamente desarmado, mente aberta e focada em conceitos, alma tentando de forma obstinada enxergar pelos olhos do Criador e coração pulsando forte na busca da essência do ser humano alinhavando pela razão das diversas descobertas acumuladas em mais de dois séculos de conhecimento humano que esta proposta foi concebida.

 

 

Retrocedo ao ambiente da revolução americana – “jamais fortalecerás os fracos por enfraqueceres os fortes” e ao clima da revolução francesa com a queda da bastilha, onde a casa dos Bourbons perde seus privilégios, acendendo uma chama indelével na mente humana de promessas de “liberdade, fraternidade e igualdade” direitos humanos ate hoje desrespeitados, porem nascidos do iluminismo, ainda latente, com forte apelo na vontade humana de participação democrática.

 

 

Através das fotos dos pensadores, presto uma homenagem àqueles que deram contribuição notável para alinhavar esta proposta. Demais autores conseqüentes porem com visão parcial ou ideologicamente afetada através da semiótica do processo de desenvolvimento não são citados, embora tenham sido avaliados.

Karl Marx  enxergou com notável clarividência a evolução das idéias no processo de desenvolvimento:

“A tradição de todas as gerações mortas oprime como um pesadelo o cérebro dos vivos. E justamente quando parecem empenhados em revolucionarem-se a si e às coisas, em criar algo que jamais existiu, precisamente nesses períodos de crise revolucionária, os homens conjuram ansiosamente em seu auxilio os espíritos do passado, tomando-lhes emprestado os nomes, os gritos de guerra e as roupagens, a fim de apresentarem-se nessa linguagem emprestada.”

 

 

Encontrei no texto abaixo de Adam Smith, oportuno comentário que define com fidelidade meu estado de espírito:

“Filósofos da natureza, em sua independência em relação a opinião publica, aproximam-se bastante dos matemáticos e em seus juízos quanto ao mérito de suas próprias descobertas e observações gozam de algum grau da mesma segurança e serenidade”. … “Matemáticos e filósofos da natureza, graças a sua independência com relação a opinião publica, tem pouca tentação de reunirem-se em facções e seitas, seja para apoiar sua própria reputação , seja para reduzir a de seus rivais. São quase sempre homens de grande simplicidade nas maneiras,vivendo em boa harmonia entre si, amigos da reputação um do outro, que não participam de intriga para garantir o aplauso publico, embora gostem de ver suas obras aprovadas, sem ficarem nem muito vexados, nem muito irados, quando são negligenciados”

 

 

 

ADAM SMITH, (1723-1790) filósofo de formação, é o pai da Economia Política. É com ele que a Economia nasce enquanto ciência. A sua obra principal chama-se “Investigação sobre a Natureza e as Causas da Riqueza das Nações”, foi publicada em 1776 e é considerada a obra fundadora da Economia Política – entretanto o embasamento filosófico ético e moral para seu pensamento foi publicado em 1759 – “Teoria dos sentimentos morais”  – um verdadeiro mergulho  na essência do ser humano. Aprendi com Smith a importância da mão invisível, aquilo que hoje é chamado de mercado – indivíduos agindo por seu próprio interesse – e sempre o interesse individual é que prevalece – sem a interferência governamental – é um modelo superior de convivência humana. Aprendi também com este notável professor de ética que cada ser humano traz em seu peito um tribunal de júri – cada um de nos sabe discernir entre o certo e errado, desde que em equilíbrio com sua natureza.

 

  •    “O estadista que pretender determinar ás pessoas de que maneira elas devem empregar seu capital, não apenas estará se sobrecarregando com um cuidado desnecessário, mas assumirá uma autoridade que jamais poderia ser seguramente confiada a uma simples pessoa, nem também a qualquer conselho ou senado, e que em nenhuma parte será tão perigosa como nas mãos de um homem que tem bastante insensatez e presunção para julgar-se apto a exercê-la.”
  • “Cada pessoa, como diziam os estóicos, deve ser primeira e principalmente deixada ao seu próprio cuidado; e cada pessoa é certamente, sob todos os pontos de vista, mais apta e capaz de cuidar de si do que qualquer outra pessoa”

 

KARL MARX – (1818-1883) – O polêmico e fecundo pensador humanista – ícone do socialismo e talvez o mais pouco compreendido dos pensadores – morreu em 1883 e a revolução soviética ocorreu em 1917. Nunca tantos especularam sobre suas intenções – em seu nome foram cometidas aberrações dignas de fanáticos alucinados pelo poder “dos penetrantemente visionários, até os psiquicamente perturbados”, usando a clarividência do competente historiador inglês Eric Hobsbawm. É preciso dessacralizar sua obra – muitos tiveram a sensibilidade de reconhecer erros no capitalismo porem agiram como sacerdotes marxistas queimando incenso a seu deus. Marx não viveu o suficiente para ver como a democracia social consegue subornar qualquer paixão revolucionária.

 

 

Aprendi com Marx que a força de trabalho não pode sofrer desgaste“Operario vende a sua força de trabalho para conservá-la ilesa, salvo o natural desgaste, porém não para destruí-la”.

 

 

Trabalhadores precisam de se alimentar e ter acesso aos sistemas de saúde e educação para que esta força de trabalho não se destrua – não faz sentido embutir isto no salário, pois a fome das pessoas não é uma variável de mercado, mas uma necessidade biológica. Trabalho humano é um processo de transformação de energia humana em energia física ou intelectual e para que esta transformação ocorra é preciso que nutrição, saúde e educação estejam asseguradas a priori e não embutidas no salário. Tal qual um veiculo precisa de combustível para trafegar.

É oportuno lembrar a constatação de Jean-Jacques Rousseau “A natureza nunca nos engana; somos sempre nós que nos enganamos.”

 

Ou ainda de Victor Hugo: “É triste pensar que a natureza fala e que o gênero humano não a ouve.”

 

E a certeza inexorável de Francis Bacon: “Para dar ordens a natureza é preciso saber obedecer-lhe.”

 

Porém, a constatação mais significativa para reflexão, por oportuna, vem de Ayn Rand – judia russa que fugiu da Rússia nos anos 1920, autora do livro A Revolta de Atlas:

“Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada”

 

 

 

Ao final do seculo XIX, diante do crescimento do socialismo, o Vaticano lançou a  CARTA ENCÍCLICA «RERUM NOVARUM» DO PAPA LEÃO XIII SOBRE A CONDIÇÃO DOS OPERÁRIOSa 15 de Maio de 1891, no décimo quarto ano de seu Pontificado, sobretudo para esclarecer a posição da igreja sobre a relação trabalho – capital, o papel do estado, propriedade privada, etc.

O problema nem é fácil de resolver, nem isento de perigos. É difícil, efectivamente, precisar com exactidão os direitos e os deveres que devem ao mesmo tempo reger a riqueza e o proletariado, o capital e o trabalho. Por outro lado, o problema não é sem perigos, porque não poucas vezes homens turbulentos e astuciosos procuram desvirtuar-lhe o sentido e aproveitam-no para excitar as multidões e fomentar desordens”.

“Em todo o caso, estamos persuadidos, e todos concordam nisto, de que é necessário, com medidas prontas e eficazes, vir em auxílio dos homens das classes inferiores, atendendo a que eles estão, pela maior parte, numa situação de infortúnio e de miséria imerecida”.

 

 

Buscando justiça e equidade, concordo integralmente com o Vaticano na condenação do socialismo, e na defesa da propriedade privada«Não desejarás a mulher do teu próximo, nem a sua casa, nem o seu campo, nem o seu boi, nem a sua serva, nem o seu jumento, nem coisa alguma que lhe pertença»

E preconiza a caridade como solução para a “alteração das relações entre os operários e os patrões, a influência da riqueza nas mãos dum pequeno número ao lado da indigência da multidão”

 

 

“Façam os governantes uso da autoridade protectora das leis e das instituições; lembrem-se os ricos e os patrões dos seus deveres; tratem os operários, cuja sorte está em jogo, dos seus interesses pelas vias legítimas; e, visto que só a religião, como dissemos no princípio, é capaz de arrancar o mal pela raiz”. “Portanto, a salvação desejada deve ser principalmente o fruto duma grande efusão de caridade, queremos dizer, daquela caridade que compendia em si todo o Evangelho, e que, sempre pronta a sacrificar-se pelo próximo, é o antídoto mais seguro contra o orgulho e o egoísmo do século”.

 

Por mais respeito que tenho pelos compromissos históricos e milenares do Vaticano pela conduta humana, não posso acreditar que alguns venham ao mundo para viver de caridade e outros para viver na opulência!!! A esmola destrói duas das mais estimulantes forças motivadoras do ser humano: dignidade e iniciativa. Prefiro acreditar que falta igualar as oportunidades – nutrição, saúde e educação – a partir daí a caridade é opcional.

 

Como disse o escritor frances Victor Hugo: “Fazemos caridade quando não conseguimos impor a justiça”. Porque não é de caridade que necessitamos. A justiça vai às causas; a caridade, aos efeitos. O também frances Monsenhor Jacques Gaillot – homem, de olhar sereno e voz pausada, que fez de sua vocação religiosa uma opção pelos direitos humanos, especialmente os direitos dos pobres e prisioneiros da injustiça, completa: “Eu não estou dizendo que não se deve ajudar com um prato de sopa ou um abrigo a quem está nas ruas. Existem urgências. Eu faço isso, mas minha consciência não fica tranqüila, porque penso que devemos lutar contra as causas estruturais que prendem essas pessoas na injustiça. O mais triste é que as pessoas vão se acostumando com a injustiça. E eu digo: Despertem! Tenham vergonha! Vamos nos indignar contra a injustiça!”

 

 

Responsabilidade social, sustentabilidade, equilíbrio ecológico – são as palavras chave – algo como um pensamento cheio de desejo, porém ninguém aponta como efetivar isto. Alguns focam suas propostas na alteração do DNA humano – ou acreditam no surgimento de uma nova geração que vá colocar os interesses  coletivos acima de seus interesses pessoais, algo como as propostas religiosas que estão há pelo menos 4000 anos, desde o profeta Abrahao, origem das religiões monoteístas, tentando catequisar, com pouco sucesso, este curioso bípede humano. Não acredito nisto, interesses pessoais sempre irão prevalecer em relação aos coletivos. Napoleão Bonaparte, em suas reflexões sobre a alma humana, constatou que as pessoas lutam com muito mais vigor por seus interesses do que por seus ideais!! Importante é colocar o egoísmo de cada um a serviço da coletividade. Tal como política e economia não podem se misturar, economia e religião são 2 departamentos distintos, embora muitos insensatos e aproveitadores insistem em criar a religião de prateleira de supermercado, so pegam aquilo que lhes interessam para se locupletar. Não apenas religiões mas também associações que falam em nome de ética e filantropia. A estes estão destinados os lugares mais quentes do inferno. Neste contexto, merece reflexão as recomendações do pensador inglês Gilbert CHESTERTON – “ORAR como se tudo dependesse de Deus. AGIR como se tudo dependesse de nós”. Definitivamente a religião é o placebo do povo – o falso remédio funciona em determinadas situações.

 

JOHN MAYNARD KEYNES – (1883 – 1946) é um vulto importante da história do pensamento econômico. A sua obra principal chama-se “A Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda” (1936). Este livro foi, sem dúvida alguma, o que mais influência teve na vida das sociedades industrializadas após a segunda guerra mundial, influenciado pela crise de 29 numa Europa destruída pela  guerra, onde o governo passa a influir decisivamente na economia. Certamente o sucesso do New Deal de Roosevelt na década de 30 estimulou este economista ingles a sustentar a presença do estado na economia.

A obra de Keynes foi a resposta à crise em que mergulhou a Economia Política de então, dominada pelas correntes marginalistas, incapaz de explicar a grande depressão que assolou o mundo ocidental nos anos trinta do século passado.

De acordo com Keynes o Estado pode ter um papel muito importante no evitar das crises econômicas se aumentar as despesas públicas impedindo assim a quebra da procura agregada no momento em que esta se contrai motivada pelas expectativas desfavoráveis dos agentes privados

 

“É preciso, portanto, dotar o Estado de instrumentos efetivos de política econômica, que lhe permitam regular a taxa de juros de modo a mantê-la abaixo da “eficiência marginal do capital”, incrementar o consumo mediante a expansão dos gastos públicos e expandir a inversão por meio de empréstimos públicos capazes de absorver os recursos ociosos.”

 

Seria cômico se não fosse trágico imaginar que o controle de fluxos financeiros: moeda, cambio e crédito possa gerar desenvolvimento. Apenas e somente trabalho produtivo consegue gerar capital que, em sua essência, nada mais é que trabalho acumulado. Pretensa estabilidade que se consegue com a interferência do governo na economia deve ser substituída pelo pleno emprego produtivo conseguido através da liberdade total para produzir e consumir. Presença do estado so se justifica por tempo limitado para retomar o equilíbrio. Presença constante do governo significa a substituição da invariável lei da oferta e procura no mercado livre pela questionável ação da vontade humana.

Seria muito eficaz e útil que os formuladores econômicos se convençam de que aplicar mais medidas usando o mesmo referencial keynesiano chegaremos aos mesmos resultados. Temos que migrar para outro referencial se quisermos avançar no processo de desenvolvimento.

Os dirigentes econômicos devem ter consciência de que:
“Se eles fizerem apenas o que sempre fizeram, acabarão obtendo apenas o que sempre tiveram”.

“A médio prazo estamos todos mortos” teria sido a resposta de Keynes sobre as implicações de suas propostas. Ele está morto e não pode constatar o desastre, após quase 7 décadas de funcionamento de suas propostas ao oficializar o governo interferindo na economia.

 

 

Joan Violet Robinson (1903-1983) é das principais economistas do século XX. Foi líder da “Cambridge School”, partidária das teorias de Marshall de início, finalmente um membro destacado das escolas neo-ricardiana e pós-keynesiana. Contribuições marcantes foram dadas pela saudosa dama da economia européia Joan Robinson, que trabalhou com Keynes e que tive o prazer de conhecer – Ate hoje ecoa em minhas reflexões a avaliação de Robinson ao ser perguntada sobre o poder das multinacionais – ela foi taxativa: é preferível ser escravo da Volkswagen do que não ser escravo de ninguém!!! Aprendi com Robinson que economia de mercado faz o que for rentável e não o que é necessário – nesta constatação de Robinson esta a pista para a síntese entre capitalismo e socialismo.

 

Ludwig Heinrich Edler von Mises (1881–1973) –  do chamado grupo da escola austríaca, formada por Carl Menger, Eugen von Böhm-BawerkHenry Hazlitt, Murray Rothbard e o Premio Nobel Friedrich Hayek. Sua obra é um monumento ao liberalismo econômico, mostrando de forma enfática e irrefutável a inutilidade da intervenção governamental na economia que muitas das vezes se consegue um resultado inverso ao que se pretendia de inicio. Aprendi com Mises e Hayek que nada supera o poder da organização espontânea dos mecanismos de preço de mercado. Todos meus textos estão impregnados dos ensinamentos e constatações econômicas da magnífica contribuição da escola austríaca.

“A humanidade precisa, antes de qualquer coisa, se libertar da submissão a slogans absurdos e voltar a confiar na sensatez da razão.”

 

Muito antes de um saudosismo extemporâneo, quero enfatizar minha crença nos valores defendidos por estes pensadores, onde o ser humano independente, ativo e produtivo, faz sua própria historia. Qualquer que seja sua visão de democracia, nunca a sorte dos governados pode depender da virtude dos governantes. Além do sufrágio universal e imprensa livre, a redução dos recursos em poder de uma elite dirigente, devem ser os critérios para qualificar democracia.

Afinal, o que deu errado? Como podemos corrigir isto? Certamente não existe o ser humano capitalista e o socialista.

 

Imagine uma sociedade com todos seus membros empregados, onde a oferta de empregos sobrepuja a procura, onde os jovens estudantes são procurados antes de sair da escola ou universidade, onde os salários tendem a subir e não há necessidade do governo instituir um mínimo a ser pago. Isto não é um sonho, já existiu na revolução industrial, inicio do século 19. Estou falando de introduzir a substancial critica de Marx – deterioração da força de trabalho – na investigação básica de Adam Smith e reduzir substancialmente a presença do estado na economia, resgatando o clima de pleno emprego produtivo observado no inicio do século 19. Somente com pleno emprego não precisamos da supervisão do estado – mão invisível age de forma inexorável!!

 

O governo é uma instituição economicamente inviável porque sua receita e despesa são determinadas por atos de vontade humana. A economia é uma ciência cujas técnicas são válidas e aplicáveis quando a vontade dos agentes econômicos é limitada por uma lei natural de oferta e procura. É por este motivo que as técnicas econômicas aplicadas pelo governo são ineficazes e apresentam resultados medíocres. Do ponto de vista institucional, a burocracia de governo, esclerosada em sua essência e esclerosante em suas ações, é um péssimo gestor de recursos, pois cresce á sombra do favoritismo subserviência, incompetência e servilismo, onde a amizade e influência políticas valem mais que o mérito e capacidade. Onde inexiste a saudável competição geradora de estímulos profissionais e avanços tecnológicos produzindo campo fértil para monopólios, oligopólios e cartéis.

Iniciativa privada, operando num mercado competitivo e pleno emprego produtivo é um modelo superior de produção de bens e serviços.

Isto não significa que trabalhadores e empresários do setor privado sejam seres superiores, privilegiados por eleição divina. O modelo da iniciativa privada é superior porque opera numa conjuntura onde a vontade humana é limitada por uma lei natural e inexorável de oferta e procura

A complexidade das modernas sociedades não pode ser administrada por planejadores centrais. O chamado centralismo democrático é um sofisma que só interessa aos governantes autocratas.

O inchaço do poder executivo, ou a enorme quantidade de recursos financeiros em poder do Estado a serem alocados por atos de vontade humana estimula uma corrida desenfreada em políticos inescrupulosos que buscam o poder a qualquer custo, onde “não desdenham, em certos casos, alianças com a trapaça, fraude e corrupção” usando as palavras de VILFREDO PARETO.

O discurso é a democracia, porém os métodos utilizados conduzem, inevitavelmente, a encher os bolsos do Estado.

Este paradoxo transformou o democrático regime “do povo, pelo povo e para o povo” na autocrática regra de um regime “para o povo”, onde a sorte dos governados depende da virtude dos governantes.

O mundo assiste, nos dias atuais, perplexo e impotente, á supremacia e dominação da classe dos burocratas, pois a evolução prática dos sistemas capitalista e socialista converge inevitavelmente para um regime totalitário. Vale dizer, a desigualdade de oportunidades nas regras de convívio humano está gerando o mais terrível processo de dominação e servidão humana que é a ditadura da burocracia.

 

Fica claro que, com as atuais regras de convívio humano, o governo precisa intervir cada vez mais, porem as reais necessidades da intervenção do governo na economia é a constatação que 3 setores: agricultura, saúde e educação não andam sozinhos – governo precisa bombear recursos para estes 3 setores – bombeamento de baixa eficiência porem necessário. Enganam-se aqueles que preconizam a redução da intervenção do governo na economia com as atuais regras – aumentaria muito a distancia entre pobres e ricos e inviabiliza o convívio humano. Porem através de novo pacto social onde nutrição, saúde e educação passam a ser reponsabilidades do processo produtivo privado e o governo, reduzindo a tributação correspondente, irá reduzir sua interferência na economiaAo invés de transferir recursos do rico para o pobre, igualam-se as oportunidades de nutrição, saúde e educação. Não falamos de filantropia, mas num novo conceito de trabalho humano como processo de transformação de energia humana em energia física ou intelectual. Trata-se de substituir a cambiante lógica de idéias – ideologia – pela invariável lógica da vida – biologia. Certamente o empresário não ira agir por filantropia, é o pleno emprego produtivo que será o fiador deste Acordo de vontades – a dinâmica da economia ira conduzir ao pleno emprego onde a supervisão governamental não será mais necessária. O poeta e polemista inglês do século 17 John Milton identificou que a razão humana consegue distinguir as boas das más idéias, tal como Adam Smith dizia que todos temos um tribunal de júri em nosso peito – sabemos distinguir o certo do errado. Desta forma consegue-se humanizar o mercado ou responder ao poeta mexicano, Nobel de literatura de 1990, Octavio Paz: mercado não tem consciência nem misericórdia”. Ou ainda aplacar a ansiedade de Joan Robinson – mercado passa a fazer o necessário e o rentável com liberdade total de produzir e consumir.

Esta proposta precisa ser discutida à exaustão por todos aqueles que detêm responsabilidades e acreditam que temos a obrigação de entregar um mundo melhor para nossos  filhos, netos e próximas gerações. A fome não pode esperar e as crianças que nascem hoje tem o direito natural de serem alimentadas, e terem acesso aos sistemas de saúde e educação. Antes que seja tarde demais é preciso humanizar o mercado  para merecer o amanhã.

Tenham todos um momento de saudável e profunda reflexão. Cordialmente

 

Ronaldo Campos Carneiro – rcarneiro@salutecafe.com.br Brasilia – DF – Brasil – ago/2012

———————————————————

De: Gerson Gonçalves [mailto:gersongoncalves38@gmail.com]
Enviada em: sábado, 18 de dezembro de 2010 11:13
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Boas Festas – Viva 2011 !!!

 

Queridos amigos Ivani e Ronaldo:

recebemos, agradecemos e retribuimos os votos natalinos.

Que Deus continue a abençoa-los em familia, negocios e também nos caminhos de Rotary.

Que a celebração do Natal seja na doce companhia do Senhor Jesus Cristo.

Um abraçlo,

Irani e Gerson Gonçalves

 

 

De: Almiro Schimidt EGD2009-10 [mailto:as.d4410@bol.com.br]
Enviada em: sábado, 18 de dezembro de 2010 07:57
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Boas Festas – Viva 2011 !!!

 

Estimado EGD Ronaldo Carneiro

Que neste natal, reflitamos sobre o passado para melhorar o nosso futuro e que a luz divina brilhe sobre as nossas decisões mostrando-nos a sabedoria.

Que em 2011 continue a trajetória de conquistas com muita saúde e paz e que juntos possamos celebrar cada sucesso alcançado.
Sou formado em História e me agrada muito suas mensagens, parabéns pelos textos e reflexões.
Refletir sobre o passado (investigar e reescrever em muitos casos), para entender melhor o presente e preparar um futuro melhor para todos.

Forte abraço

Almiro Schimidt
EGD 2009-10 D4410
Coordenador DQA 2010-2011

De: Antonio Celso Costa [mailto:celso@dilk.com.br]
Enviada em: sexta-feira, 17 de dezembro de 2010 22:58
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Boas Festas – Viva 2011 !!!

 

Caro EGD Ronaldo

 

Elvira e eu agradecemos e retribuímos com carinho seus votos de um Feliz Natal e um Novo Ano repleto de realizações.

Suas considerações colhidas das pessoas que modificaram o pensamento da humanidade nestes últimos séculos é um presente de fim de ano para todos nós.

Obrigado por tê-la enviado.

Abraços

Antonio Celso Costa
EGD 1998/99 Distrito 4710
Membro do Rotary Club de Londrina

 

 

De: Dirceu Schmitt [mailto:dirceuschmitt@via-rs.net]
Enviada em: sábado, 18 de dezembro de 2010 11:54
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Boas Festas – Viva 2011 !!!

 

 

Caro Governador Ronaldo.

Apreciei, profundamente, as tuas considerações; apropriadas ao momento atual e respeitosas aos ensinamentos de nossos maiores.

Estou repassando para todos os meus companheiros do RC.de Canela, para que também eles possam aproveitar desta lúcida manifestação.

Obrigado.

Tenhas e os teus um ótimo final de Ano e um proveitoso 2011, lembrando que no Natal o verdadeiro motivador da festa é Cristo, lamentavelmente substituido pela figura do papaei noel.

Abraços.

Dirceu

 

—————————————————–

De: plinioslage@terra.com.br [mailto:plinioslage@terra.com.br]
Enviada em: sexta-feira, 17 de dezembro de 2010 21:51
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Boas Festas – Viva 2011 !!!

 

Prezado EGD Ronaldo Carneiro,

Sua belíssima e oportuna mensagem realmente nos trouxe muita emoção e nos fez refletir sobre o sentido da v ida. Como afirmou Charles Chaplin, a vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. por isso, cante, chore,dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos. Na oportunidade, peço sua licença para transmitir sua mensagem a inumeros amigos e, tenha certeza irei identificar a fonte. No mais um FELIZ ANIVERSÁRIO ( 21/12) e um SANTO NATAL e VENTUROSO ANO NOVO, ao lado de sua amada esposa vani.  EGD Plinio Lage

 

 

De: Luiz de Araujo Filho [mailto:elbalize@gmail.com]
Enviada em: sexta-feira, 17 de dezembro de 2010 21:02
Para: rcarneiro@salutecafe.com.br
Assunto: Boas Festas!

 

Caro Companheiro, Governador 2008/2009, Ronaldo,

 

Agradecemos e retribuímos, Lize e eu, os votos de Boas Festas, e principalmente, que reine no coração de todos um Feliz e Santo Natal, e que suas tão pródigas e acertadas palavras sejam prenúncios de luz para muitos que ainda caminham na escuridão.

 

Forte abraço, extensivo aos seus familiares.

 

Luiz de Araujo e Elizene

Gov. 2007/2008

 

 

De: Geraldo Vilhena A Paiva [mailto:gpaiva@univap.br]
Enviada em: sexta-feira, 17 de dezembro de 2010 19:27
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Boas Festas – Viva 2011 !!!

 

Meu caríssimo Ronaldo e Família,

Agradeço-lhe pela gentileza de sua mensagem de Boas Festas e do texto encaminhado, fundamentado em brilhantes pensadores de nossa história, principalmente, aqueles que indicaram, no sec. XIX, rumos para diferentes campos do saber humano. Reconheço e já lhe manifestei, por diversas vezes, meu apreço e admiração à tenacidade de sua caminhada, tal qual, aqueles de outrora, trazendo a todos nós um chamamento às reflexões, de antanho e, ainda, hoje, como você bem o diz, em pleno século XXI, a esperar a luz de soluções; compreendo, perfeitamente, a conceituação presente em seus escritos, quanto aos têrmos, energia, trabalho, entre outros e entre esses outros, coloco a potência como impulsionadora do movimento, movimento capaz de promover as mudanças e transformações que todos nós desejamos, valorizando o homem, o HOMEM INTEGRAL, não pela ordem do ter, mas, pela ordem do ser. Não mensuramos o Ser Humano por aquilo ou pela quantidade do que tem, mas, pelo que êle é e pela qualidade de seus valores, Essa é, em resumo ou em tese, minha visão humanística que apreende suas colocações; não é o pêso do ouro que esmaga os irmãos, é o sentimento de se doar ao outro para que esse outro tenha as mesmas oportunidades que tivemos, só assim, é justa e humana uma sociedade.

Queira, meu caro Ronaldo, aceitar nossos votos de um Natal cristão, humano, fraterno e mais justo e que 2011 possa trazer a todos nós e a toda a humanidade, a tão sonhada paz e a tão esperada compreensão entre os povos, sem quaisquer discriminações. Nossos votos, de minha esposa e meus, são, carinhosamente, extensivos a seus queridos familiares. Geraldo Vilhena

Geraldo Vilhena de Almeida Paiva
Professor Titular
Coordenador do Curso de Serviço Social
Tel. (12) 3947-1029
Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP.
http://www1.univap.br/~gpaiva

http://www.univap.br/

 

 

De: Marcilio Moreira [mailto:marcilio_mmoreira@yahoo.com.br]
Enviada em: sexta-feira, 17 de dezembro de 2010 18:59
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Boas Festas – Viva 2011 !!!

 

Agradeço sua bela e densa mensagem Natalina,desejando-lhe um Santo Natal e um Ano Novo abençoado com Paz,Saúde e muita Luz para continuar iluminando os seus caminhos.

Forte abraço amigo

Marcílio

 

De: Dr. Taquary [mailto:sbtaquary@brturbo.com.br]
Enviada em: domingo, 19 de dezembro de 2010 06:16
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Boas Festas – Viva 2011 !!!

 

Caro Companheiro RONALDO CAMPOS CARNEIRO, governador 2008-2009,

 

Tenho lido suas mensagens, porque elas têm forte motivação polícito-social, difundindo a ética e a moral. Todos precisamos refleltir sobre esses esteios, que são, em essência, a esperança da humanidade. Parabéns.

 

Feliz Natal próspero Ano Novo, para Você e toda sua Família.

 

Sebastião Borges Taquary,

RC de Brasília Sul.

 

 

De: toro.alp@terra.com.br [mailto:toro.alp@terra.com.br]
Enviada em: terça-feira, 21 de dezembro de 2010 12:06
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Boas Festas – Viva 2011 !!!

 
Estimado Governador Pensador Ronado Carneiro – Agradeço e retribuo os votos de Boas Festas. Sempre recordo, com muita alegria, da maravilhosa conferência de Pirenópolis. Fico feliz por você compartilhar as suas ídéias. Reitero que você é um Governador Pensador. A propósito, no momento estou lendo “Legisladores e Intérpretes” de Zigmmunt Bauman. Em um trecho o autor, citando Radin, menciona que: “O que Radin descobriu primeiro nesse tipo de sociedade foi “a existência de dois tipos gerais de temperamento entre os povos primitivos: o do sacerdote-pensador e o do leigo; um fundamentalmente identificado com a ação, o outro apenas de maneira secundária; um interessado na análise dos fenômenos religiosos, o outro em seu efeito.”. No Rotary, nos dias de hoje, temos as duas categorias de sócios. Você é um sacerdote-pensador. Abraços. Toro

 

 

De: Jorge Monteiro [mailto:monteiro.jorge@uol.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 22 de dezembro de 2010 22:05
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Boas Festas – Viva 2011 !!!

 

Meu prezado amigo e companheiro EGD Ronaldo Carneiro

 

Grato, muito grato por seus votos de Boas Festas, que retribuo fraternalmente, para si e sua esposa.

 

Que Deus continue a ilumina-lo, e proporcine a realização de seus objetivos pessoais e profissionais.

 

Como sempre, sua explanação é sensacional e oportuna para uma reflexão de todos nós.

 

Muito obrigado e creia que não vou perder a oportunidade de divulga-la.

 

Boas Festas e um fraternal abraço.

 

Jorge M. R. Monteiro

 

 

De: Rubens Ricupero [mailto:mpricupero@uol.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 22 de dezembro de 2010 18:58
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Boas Festas – Viva 2011 !!!

 

Prezado Ronaldo,

Agradeço a gentileza dos bons votos e do texto de grande riqueza de ideias que me enviou. De minha parte, também lhe desejo e a seus entes queridos todas as felicidades e alegrias neste Natal e no Ano Novo. Abraço forte,

Rubens Ricupero

 

 

De: Ross Conran [mailto:rossconran@yahoo.com]
Enviada em: quarta-feira, 19 de janeiro de 2011 13:12
Para: rcarneiro@salutecafe.com.br
Assunto: Christmas Greetings

 

Dear Ronaldo,

Thank you for your very moving Christmas Greetings that I received today.  I am moved by your comments and have included them in part in our weekly club communication.  I return the wishes and hopes you spoke of to you, your wife and family, your Club and all Rotarians everywhere.

 

Part of my training as District Governor occurred in Anchorage, Alaska.  The Governors Elect there included the District Governor Elect from the new District in Russia.  The relations with Russia were newly formed and many in my country remained suspicious if not hostile to the former USSR with much reason.  At the conclusion of the training, at the final session, we arranged ourselves in a large circle with arms locked to sing the Rotary Hymn, “Let There be Peace on Earth.”  My wife’s arm was linked with that of the Russian DGE and mine with her’s.  It was that extrodinary moment as we sang those moving lyrics that my heart changed.  It was as though I could see the decades of hostility that I had lived through melt away permanently.  I began to understand that there might be a possibility of peace if good men and women of good desire could link arms and sing of that which might one day come true.  It could only have happened through Rotary.

 

Blessings to you and yours,

Ross E. Conran

PDG D6290

Michigan, USA and Ontario, Canada

 

————————————————–

De: Synemar Cervellini [mailto:sycervellini@terra.com.br]
Enviada em: terça-feira, 25 de janeiro de 2011 22:21
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Repensar o mundo para as futuras gerações

 

Amigos, realmente super interessante essa leitura. Agradecemos e nos alegramos que, companheiros, repassem matérias interessantes e produtivas. Obrigada, Branca e Synemar .(94-95

 

De: Severo Canziani [mailto:severo@canziani.com.br]
Enviada em: terça-feira, 25 de janeiro de 2011 22:10
Para: ‘Ronaldo Carneiro’
Assunto: RES: Repensar o mundo para as futuras gerações

 

Prezado Governador 2008-09 Ronaldo,

Meus cumprimentos pela idéia e pelo material enviado.

Como sugestão: Que tal um Fórum Rotário sobre o assunto com a participação de todos os Distritos?

Grande abraço,

Severo Canziani.

De: urquiza alvim [mailto:urquizafarialvim@uol.com.br]
Enviada em: terça-feira, 25 de janeiro de 2011 20:03
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Res: Repensar o mundo para as futuras gerações

 

Meus caros comp. Ronaldo e esposa:

 

Excelente o texto que nos leva a refletir o futuro das gerações. O modelo atual está ultrapassado e gasto. Urge que criemos ações mais pragmáticas para a inclusão social, passando, inexoravelmente, pela educação, nutrição e saúde. Refletindo o seu pensamento escrevi o texto abaixo: Prece Natalina. Obrigado pelo bem elaborado texto, somos-lhes gratos. Urquiza Alvim

Belo Horizonte, 25/12/2010.

Urquiza Alvim

——————————————————————————-

 

De: pimentel.glima@uol.com.br [mailto:pimentel.glima@uol.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 12:09
Para: rcarneiro@salutecafe.com.br
Assunto:

 

Caro Ronaldo,
Só agora li a sua mensagem. Agrademos e retribuimos os votos de um Ano Novo
com muita Paz e Saúde para você e sua família.
Quanto ao tema para discussão é muito oportuno,
em breve nos veremos.
Um forte abraço
Pimentel e Stella
Maceió, 25 de janeiro/11

De: Ary Antonio Moschetta [mailto:arymoschetta@uol.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 15:15
Para: ‘Ronaldo Carneiro’
Assunto: ENC: Repensar o mundo para as futuras gerações

 

CARO EGD RONALDO CARNEIRO !!!

SAUDAÇÕES !

CONFESSO QUE ME ATIVE A LEITURA DE SUAS CONSIDERAÇÕES ATÉ O FINAL. ACHEI OPORTUNAS, ESPECIALMENTE POR ESTARMOS INCIANDO UM NOVO ANO. QUEM SABE POSSAMOS COLOCAR EM NOSSOS PROJETOS ALGO QUE POSSA CONTRIBUIR PARA QUE O SEU PENSAMENTO E SUAS IDÉIAS POSSAM SER COLOCADAS EM PRÁTICA.

 

REPASSEI À ALGUNS AMIGOS MEUS, CUJOS EMAIL ENCONTRAM-SE LOGO ABAIXO.

DILCEU JOÃO SPERAFICO É DEPUTADO FEDERAL – PARA QUEM PRESTO MEUS SERVIÇOS

VITOR BEAL – AMIGO POR MAIS DE 40 ANOS, ESCRITOR E AGRICULTOR EM NOSSO MUNICIPIO DE TOLEDO

VELCI LUIZ KAEFER – SÓCIO DIRETOR – PRESIDENTE DE UMA DAS MAIORES EMPRESAS NO RAMO DE FRIGORIFICOS – E PRODUÇÃO DE PINTAINHOS INCLUSIVE PARA O INSTITUTO BUTANTÂ – NA PRODUÇÃO DE VACINAS.

ELOI JENSEN – EX FUNCIONÁRIO DO BB. GERENTE APOSENTADO. HOJE GESTOR DE NEGOCIAÇÕES CLIENTES X BB.

ESPERO TER CONTRIBUIDO PARA A DIVULGAÇÃO DE SUA OBRA, ELA MERECE SER LIDA.

ABRAÇO CORDIAL E ROTÁRIO.

 

EGD 90-91 – ARY ANTONIO MOSCHETTA

R.C.TOLEDO – D-4640


De: Ary Antonio Moschetta [mailto:arymoschetta@uol.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 15:02
Para: dilceu.joao; ‘Vitor Beal’; ‘velci@globoaves.com.br’; ‘ejensen@terra.com.br’
Assunto: ENC: Repensar o mundo para as futuras gerações

 

COMPARTILHO ARTIGO DE UM AMIGO EX-GOVERNADOR DO ROTARY INTERNATIONAL

VALE A PENA LER.

ABÇ CORDIAL

 

ARY MOSCHETTA

De: Fiorelo Ruviaro [mailto:fiorelo@corplan.com.br]
Enviada em: quinta-feira, 27 de janeiro de 2011 09:17
Para: ‘Ronaldo Carneiro’
Assunto: RES: Repensar o mundo para as próximas gerações

 

Meu querido EGD Ronaldo,

 

Muito obrigado pela bela mensagem, que bom estar em Rotary e poder estar em contacto com pessoas maravilhosas com é o companheiro.

 

Um fraterno abraço. Muito obrigado e igualmente Feliz Natal e Prospero ano novo sempre.

Fiorelo  Ruviaro – GD 4740 – 2011-12

De: Eurípedes Barsanulfo Junqueira [mailto:euripedesjunqueira@globo.com]
Enviada em: quinta-feira, 27 de janeiro de 2011 12:12
Para: GOV RONALDO CARNEIRO
Assunto: Mensagem –

EGD Ronaldo Campos Carneiro

Somente hoje recebi a sua bonita e profunda mensagem de Natal.

Li com muita atenção suas considerações e conceitos esposados.

Seria profundamente salutar a reflexão de todos sobre os conceitos emitidos em sua mensagem.

Parabéns pela sua cultura e pensamento altruista.

Eurípedes Junqueira

De: Hertz [mailto:hertz@grupotac.com.br]
Enviada em: sexta-feira, 28 de janeiro de 2011 13:42
Para: rcarneiro@salutecafe.com.br
Assunto:

Companheiro Ronaldo Carneiro

É notável sua preocupação em difundir regras sociais e conhecimento humano.

Li e vou reler seu trabalho, de profundas reflexões

Parabéns e um abraço do companheiro,

EGD Hertz Uderman

De: Herbert Zimath Junior [mailto:hzimath@netvision.com.br]
Enviada em: sábado, 29 de janeiro de 2011 23:19
Para: ‘Ronaldo Carneiro’
Assunto: RES: Repensar o mundo para as futuras gerações

 

Comp. Ronaldo,

Muito interessante sua longa explanação acerca dos parâmetros

que devem nortear nossas ações para a construção do futuro das

novas gerações.

Confesso que arquivei o texto para rele-lo oportunamente.

Abços e feliz 2011.

Herbert

De: Dr Philemon Xavier de Oliveira [mailto:philemon@brturbo.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 09:02
Para: Ronaldo C. Carneiro
Assunto: acusando mensagem

 

Prezado comp. EGD Rubens

Acuso e agradeço e envio os meus parabens pela sua mensagem para as novas gerações. Mais uma vez voce contribui com seu cabedal de cultura e poder comunicação, permitindo mais um caminho para que nos outros sejamos estimulados…

Espero poder continuar a ser presenteado com outros trabalhos seus que sempre primam pela riqueza do conteudo e beleza  da forma que sempre nos inspiram…

Com um grande abraçoamigo,

Rotariamente

Philemon Xavier de Oliveira, EGD do RI, ano 68-69

De: Antonio Bongiovani [mailto:anbon@uol.com.br]
Enviada em: segunda-feira, 31 de janeiro de 2011 10:07
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Repensar o mundo para as futuras gerações

 

Meu caro Co. Governador, saúde.

 

Achei seu texto excelente, com conclusões efetivamente corretas. O díficil é a sua aplicabilidade, em um país que acha que democracia não é sinônimo de responsabilidade. A falta de cultura na grande maioria de nossa população, que não pensa, pois é anestesiada pelas diversas esmolas que o Governo distribui, torna essas providências quase que impossíveis. A interferencia dos governos corruptos na vida da população é cada vez mais acentuada.

Mas continuo aquí em pé e a ordem.

Desejo támbém a vocês um Ano de 2011 com muita saúde, paz e harmonia. Felicidades.

Abraços fraternos

 

ANTONIO BONGIOVANI

EGD 1997-1998 – DISTRITO 4480

——————————————————–

De: Ulisses Riedel de Resende [mailto:ulisses@riedel.com.br]
Enviada em: sexta-feira, 18 de março de 2011 08:30
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Re: Repensar o mundo para as próximas gerações!!

 

Querido irmão e companheiro de jornada, Ronaldo Carneiro,

 

Me tocou profundamente a riqueza e profundidade do seu texto. Só uma pessoa sensível e idealista como você seria capaz de inspirar e reunir tantas reflexões absolutamente perfeitas.

Muito grato. Com certeza estarei me apoiando nestas verdades para a segunda edição do livro “as causas da miséria e sua superação”.

Meus mais profundos agradecimentos.

Ulisses Riedel

———————————————————

De: Myrian Macedo [mailto:myrian.macedo@uol.com.br]
Enviada em: segunda-feira, 13 de agosto de 2012 09:36
Para: rcarneiro@salutecafe.com.br
Assunto: RES: Democracia, capitalismo e socialismo

 

“ REPENSAR O MUNDO PARA AS PRÓXIMAS GERAÇÕES “:  EIS A FÓRMULA PERFEITA PARA MERECER O AMANHÃ!

BELAS PALAVRAS! PARABÉNS PELO TEXTO!

Abraço, Myrian

De: Jorge Monteiro [mailto:monteiro.jorge@uol.com.br]
Enviada em: terça-feira, 21 de agosto de 2012 10:57
Para: rcarneiro@salutecafe.com.br
Assunto: Re: Artigo EGD Ronaldo Carneiro Causa Repercussão –

 

MAIS UMA VEZ E COM PRAZER …OS MEUS SINCEROS PARABÉNS. 

VOU DIVULGAR PELOS COMPANHEIROS DO DISTRITO.

UM FRATERNAL ABRAÇO

EGD JORGE M.R. MONTEIRO (4750)

De: Henrique Dias [mailto:hdiasjr@terra.com.br]
Enviada em: terça-feira, 21 de agosto de 2012 09:41
Para: rcarneiro@salutecafe.com.br
Assunto: Artigo:”Democracia, Capitalismo e Socialismo”.

 

Caro companheiro

EGD Ronaldo Carreiro

 

 

Primeiramente devo cumprimenta-lo pelo brilhante artigo “Democracia, Capitalismo e Socialismo” onde suas ideias são colocadas de maneira clara e objetiva, fazendo um retrato

importante de nosso momento atual e propondo um repensar, a hora é agora.

Em nosso Clube temos um boletim semanal, simples apenas duas páginas impressas,  gostaria de sua autorização para apresentar seu artigo no boletim, porem em capitulos para poder “caber” no espaço que temos.

Desde já agradeço pela sua atenção e parabenizo-o pelo seu artigo, mais uma vez.

 

Saudações rotarianas.

Um grande e fraternal abraço

 

Henrique Dias Ferreira Junior

Rotary Club de Guarulhos Vila Galvão

Instrutor Distrital Assistente

De: Aberides Pitelli [mailto:apitelli@mdbrasil.com.br]
Enviada em: terça-feira, 21 de agosto de 2012 09:57
Para: rcarneiro@salutecafe.com.br
Assunto: Re: Artigo EGD Ronaldo Carneiro Causa Repercussão –

 

Caro Ronaldo

Li o seu recado e concordo plenamente. Parabéns pelo discernimento a respeito de coisas muito atuais. Como “Slogans” hoje em dia substituem ideais, porque não abolirmos a denominação “capitalismo” e chamar o sistema de “democracia econômica”? Creio que seria mais palatável para determinados setores, ao contrario de capitalismo que  leva a pensar num cidadão opulento, vestindo “Smoking” sentado numa poltrona e fumando um charuto.

Caro Ronaldo

Mais uma vez meus elogios e cumprimentos. Continue mandando seus esclarecedores artigos.

. Obrigado.

Aberides

De: Dirceu Schmitt [mailto:dirceuschmitt@via-rs.net]
Enviada em: sexta-feira, 24 de agosto de 2012 10:56
Para: rcarneiro@salutecafe.com.br
Assunto: Re: Artigo EGD Ronaldo Carneiro Causa Repercussão –

 

Bom dia companheiro Ronaldo.

Apreciei muito tuas colocações. Minha formação como economista, me faz entender a tua sensibilidade no tracejar de matéria de difícil assimilação aos não iniciados.

Parabéns.

dirceu

Jorge L. Lima said:

Em plena manhã de 2a. feira, um dia da semana de reinicio de trabalho e cumprimento de obrigações as vezes estafantes, leio um artigo que me devolve as forças e reacende minha alegria de viver.
Viver também pensando nos demais, o que podemos fazer e como fazer, algo que atenda ao coletivo, que retire esse ranço das politicas de resultados em detrimento do individualismo e liberdade do ser humano.
Companheiro Ronaldo Carneiro foi muito bom saber desta sua preocupação, expondo-a de maneira franca e verdadeira.
Hoje temos realmente é uma ditadura da democracia, onde somos impelidos a fazer o que os governos ditam, onde ficamos com a falsa impressão que dispomos de tudo que necessitamos e que tudo será dado pelos governos. Estamos sendo usados, manipulados e reduzidos a marionetes. Vamos agir para despertar as conciencias do marasmo e da subserviência.
Jorge L.Lima
Pres. 2012-13 RC Taguatinga Norte – 20/08/2012

 

Jordivar Filgueira said:

Nobre companheiro Rotariano Ex Governador Ronaldo Carneiro, essa linha filosófica que você defende com muita sabedoria, é de fato oportuna, verdadeira, e de muita inteligencia. Como você bem citou,”Temos que olhar para frente, ficar indignados com a violência, exclusão social, fome, miséria, conflitos, desrespeito a condição humana, guerras inexplicáveis motivadas por inconfessáveis interesses econômicos onde jovens são mortos em defesa de interesses espúrios”.
Meus parabéns.

Um abraço recheado de orgulho e de alegria, por você fazer parte da nossa família rotária.
Jordivar Filgueira
Imagem Pública 2012-13 do Distrito 4530 de Rotary International – 19/08/2012

 

 

Wílon Wander Lopes said:

Meu companheiro Ronaldo,
Ao ler seu comentário a respeito de tantas vertentes do pensamento humano, até começando a formular tese,fiquei com duas relevantes impressões:
– a primeira: você não tem preguiça de ler para aprender mais, de pensar, de raciocinar em cima do que você vai apreendendo. Infelizmente, tal preguiça é uma praga que vejo disseminada a cada mensagem que recebo de jovens, com destaque para o internetês. Que futuro teremos se, ao invés de se aprofundarem nos estudos, a maioria dos jovens (espero estar enganado) só querem o resumo do resumo como se fosse um castigo mergulhar nas doutrinas reveladas pelos clássicos?
– A segunda, sua capacidade de juntar tudo isso e expor sua indignação, buscando soluções melhores, mais apropriadas para um ser humano genuíno.
Parabéns por seus estudos, suas formulações e, principalmente, por nos permitir sorver tantas boas e saudáveis reflexões sobre teorias inteligentes em cima do que vivemos, sem a necessidade de mastigar.
– Abs. Wílon

De: mchavesdacunha@gmail.com

Em nome de Mario Chaves da Cunha
Enviada em: terça-feira, 28 de agosto de 2012 05:06
Para: O COESO WEB
Assunto: O COESO web

 

Caríssimos Companheiros(as) e Amigos(as)

É imensa a satisfação de enviar o nº 6 de nosso Boletim semanal. Um fraternal abraço,

Mario Cunha – Redator

Nota do Redator: Prioridades de Rotary no combate a exclusão social

Uma pagina de avançada filosofia, onde o nosso querido

Companheiro EGD Ronaldo Campos Carneiro, engenheiro

industrial, em uma peça altamente reflexiva sobre

Democracia, Capitalismo e Socialismo, está repercutindo

com intensidade nos meios acadêmicos e, pela honra de

te-lo em nossas paginas, publíco na íntegra o que me foi

enviado pelo autor. Mais informações acesse:

http://rcarneiro4.blogspot.com.br/

“Felix qui potuit rerum cognescere causas”

Feliz aquele que pôde, conhecer as causas das coisas

Apesar desta publicação ser longa, levando este Boletim, pela primeira vez publicar 9 paginas, não faltou satisfação neste trabalho, pois, pela grande importância desta exposição, estimulamos aos leitores a lêla na integra, pois, somente pela reflexão de matérias como esta, podemos cortar os grilhões e amarras de nosso comodismo e começar a pensar e agir pelas futuras gerações do amanhã de nosso País.

De: Sirlei Monteiro [mailto:sisi_nascimento@yahoo.com.br]
Enviada em: quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013 18:50
Para: Ronaldo Carneiro
Assunto: Obrigada!

 

Caríssimo

 

 Companheiro Ronaldo Carneiro,

 

que alegria receber seu e-mail, onde sua observação, é a minha maior prioridade. 

Obrigada!

O mundo em que vivemos hoje, Companheiro, esta em constante transformação. O que falamos pela parte da manhã, não se aplica mais a tarde, ou seja:  não temos mais controle sobre nossas palavras e  atitudes; e com isso perdemos completamente o valor – a ética não faz mais parte do vocabulários de nossos gestores, políticos etc..

Mas cade a cidadania que tanto atreguamos…temos o dever e o direito de lutar para o retorno da ética e nosso pais. 

E contamos com pessoas como você, que tem o dom da palavra, conhecimento e discernimento.

 

saudações rotarias,

 

 

Sirlei  Nascimento Monteiro

Presidente 2012/13

ROTARY CLUB DE JOÃO PESSOA MANAÍRA

Reuniões: Terça-feira, às 19:00h

Local:  Hotel Village  – Tambaú

———————————————–

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s